14/10/2021 Por Bárbara Rocha

10 Mitos sobre viajar para a África (e porque estão errados)

Assim como nós, você já deve ter lido ou ouvido muitas declarações negativas sobre a África como: 

“A África é subdesenvolvida.” “Você vai ser comido por um leão!”, “É um lugar perigoso!”, “Você vai ficar doente! Cuidado com o Ebola!”. 

Mas a verdade é que absolutamente NADA na África (ou em qualquer outro lugar) pode ser generalizado! 

Para começar, este continente é maior do que a China, a Índia, os EUA e a maior parte da Europa – juntos! Ele é riquíssimo e diversificado de todas as formas possíveis, com uma população de mais de 1 bilhão de pessoas, que falam centenas de idiomas, além de oferecer paisagens incrivelmente variadas.

Tratar TUDO isso como um único lugar é o mesmo que dizer que a Europa é um grande lugar. Ainda assim, toda vez que anunciamos que vamos para a África, ouvimos as mesmas preocupações e percepções erradas. 

rhino 1

Hoje, vamos abordá-los. Aqui estão dez mitos comuns sobre viajar pela África – e por que eles estão errados:

Mito 1: A África é um grande país.

vista aérea de litoral na Africa
Foto: Finding Dan Dan Grinwis on Unsplash

Muita gente costuma se referir à África como um único país quando, na verdade, ela é composta por 54 países. Cada um desses é diferente em cultura, costumes, idioma, ambiente natural, política, história e tamanho, além de ter sua própria moeda, bandeira, hino nacional, comida e identidade. 

Existem cerca de 1500 – 2000 línguas faladas em toda a África e muitas delas línguas têm dialetos variados. 

Frequentemente, o idioma oficial do país não é o falado pela maioria de seus cidadãos, ou então há vários idiomas oficiais. 

Por exemplo, a África do Sul tem 11 línguas oficiais e o Quênia e a Tanzânia duas (inglês e suaíli). Existem também mais de 3.000 grupos étnicos (pessoas descritas por sua herança cultural e costumes, não por sua raça) que praticam uma variedade de religiões, incluindo Cristianismo, Islã, Judaísmo, Hinduísmo e religiões tradicionais específicas de sua comunidade. 

A África e seu povo são diversos, bonitos, talentosos e complexos. Ao nos referirmos à África como um país, caímos na armadilha de perpetuar a narrativa e a “história única” que é veiculado pela mídia. Há muito mais neste continente!

Mito 2: A África é perigosa.

Menino e homem com pinturas no rosto e roupas culturais da Africa
Foto: Mpumelelo Macu on Unsplash

Um dos grandes mitos sobre viajar para a África é que não é seguro. 

Na realidade, a África é tão segura, que o turismo por lá vem prosperando mais e mais, tendo, somente em 2018, recebido 10 milhões de turistas na África do Sul, 2 milhões no Zimbábue e 2 milhões no Quênia.

Claro, existe uma parte da África que é perigosa e deve ser evitada (verifique o site do Departamento de Estado para obter avisos de viagens), mas existem muitos locais perfeitamente seguros para visitar. 

Generalizar todo o continente seria tão ridículo como se, digamos, houvesse uma guerra acontecendo na Costa Rica e alguém dissesse que você não pode ir para o Canadá porque é, você sabe… No mesmo continente e, portanto, cheio de perigo.

Os seguintes lugares na África são populares para turismo:

  • Marrocos – Existem praias imaculadas, oportunidades para caminhadas pela magnífica paisagem, muita história e festivais a serem descobertos em uma aventura marroquina.
  • África do Sul – A Cidade do Cabo e a África do Sul são continuamente citadas em listas de viagens imperdíveis devido à sua rica cultura, vida selvagem e belas paisagens. 
  • Senegal – As atrações populares do Senegal incluem a Ilha Goree, Dakar e o Lago Pink. A região de Casamance também é popular para observação de golfinhos e visitas a praias remotas.
  • Gana – Com sua rica história e diversidade de vida selvagem, Gana é um destino muito visitado por muitos turistas. Os habitantes locais são conhecidos por serem alguns dos mais amigáveis do mundo.
  • Tanzânia – Uma vista deslumbrante do Monte Kilimanjaro é suficiente para atrair a maioria das pessoas à Tanzânia. Mas se isso não bastar, há também o Serengeti, comida multicultural e habitantes acolhedores.

Além desses, de acordo com o Instituto de Economia e Paz (que baseia sua classificação em fatores como crimes violentos, terrorismo e conflitos internos e externos), Maurício, Botswana, Malaui, Nigéria, Quênia, Zâmbia, Togo, Uganda, Ruanda e Moçambique (para citar alguns) são todos mais seguros do que os Estados Unidos.

Por fim, não importa para onde você viaje no mundo, você deve sempre estar atento ao seu entorno, usar o bom senso, estar vigilante com seus pertences e seguir os conselhos locais sobre quaisquer áreas a serem evitadas. Falamos mais sobre esse assunto no texto: Joanesburgo é perigoso? Guia de segurança de Joanesburgo, África do SulNão deixe de ler!

E claro, você deve fazer um seguro de viagem! Utilizando a  plataforma do Seguros Promo usando nosso cupom MMDAVIDA5, você consegue 10% de desconto ( 5% de desconto e +5% se optar pelo pagamento via boleto).

Mito 3: A comida é, principalmente, “tribal” ou básica.

Comida típica da Africa em vasilha. Um dos mitos sobre viajar para a África é que a comida é "tribal" ou básica

Mais uma vez, não tem como colocar tudo num pacote e chamar de “comida africana”, porque cada país daqui tem a sua cozinha distinta, com variedades de alimentos e sabores únicos. 

E é justamente isso o que torna a África um verdadeiro paraíso para os amantes de comida (incluindo nós)! 

Cada cultura oferece pratos tradicionais distintos de sua região e alguns incorporam sabores de influências bantu, holandesa, malaia, indonésia, indiana e europeia, entre outras.

Você vai encontrar comida de alta qualidade em todos os lugares, mesmo em pousadas e acampamentos, onde o acesso é difícil. 

A África do Sul, por exemplo, evoluiu com o resto do mundo e lá você vai encontrar comida de alta qualidade por todos os lugares, além de uma comida de rua incrível, fast food e redes de restaurantes sofisticados, onde muitas vezes é preciso reservar com meses de antecedência!

Para conhecer os melhores pratos deste país, leia também: Comidas típicas da África do Sul: 13 pratos imperdíveis

Mito 4: Está sempre quente!

Montanhas na Africa envoltas por neblina, um dos mitos sobre viajar para a África é que está sempre quente
Foto: Brent Ninaber on Unsplash

Não é bem assim! Como em qualquer país, geralmente há quatro estações e flutuações climáticas em uma variedade de terrenos. 

O sul e o leste da África, por exemplo, costumam ter um clima excelente. 

No sul, apesar do verão bem quente, o outono e a primavera são bem frescos e durante o inverno (em junho, julho e agosto) já é mais frio.

Cai até neve em algumas das regiões montanhosas, como Drakensberg, Lesoto, regiões do Cabo Ocidental! E, embora as manhãs e as noites possam ser frias (pense em 0°C, às vezes até menos), os dias costumam ser lindos e quentes.

Já mais próximo ao equador, em Ruanda, Quênia e Tanzânia as estações são menos extremas. Junho, julho e agosto (meses de inverno) podem ser frios pela manhã e à noite, especialmente em grandes altitudes. Mas fora isso, você pode esperar um clima quente com possibilidade de chuvas.

Dica:

Devido a essas variações entre as estações, recomendamos que você pesquise bem o clima da região e independentemente de quando for viajar para a África, leve camadas diferentes de roupas, protetor solar e chapéu para não ser pego de surpresa com nenhuma mudança de clima.

Mito 5: A África é suja e subdesenvolvida.

1. Crianças africanas sorrindo. Um dos mitos sobre viajar para a Africa é que ela é suja e subdesenvolvida
Foto: Annie Spratt on Unsplash

A infame fotografia da criança faminta e do abutre, de Kevin Carter, no Sudão dos anos 90, assim como os anúncios de ONGs cheios de crianças desnutridas com barrigas inchadas, e filmes de sucesso como “Diamante de Sangue”, deixou uma marca em todos nós. 

De alguma forma, a mídia nos levou a generalizar o continente africano, todos os 54 países nele, como um lugar onde nada prospera.

Mas que tal darmos uma olhada em Ruanda, por exemplo? Tirou mais de um milhão de pessoas da pobreza desde o genocídio nos anos 90 e é, atualmente, o país com mais mulheres na política do mundo. 

Ficamos impressionados com o quão limpo e verde este país é! Quase não vimos lixo nas ruas, além de ter sido um dos primeiros países do mundo a tornar as sacolas plásticas ilegais! 

Embora haja pobreza inegável em partes da África, os países africanos respondem por cinco ou seis posições na maioria das listas das “dez economias de crescimento mais rápido”, com Etiópia, Gana e Costa do Marfim liderando o continente.

E, assim como no Brasil, a pobreza não existe devido à falta de riqueza no país, mas sim ao fracasso em distribuir essa riqueza uniformemente!

Mito 6: Animais selvagens vagam livremente.

Elefante em floresta. Um dos mitos sobre viajar para a África é que os animais selvagens vagam livremente
Foto: Will Shirley on Unsplash

Embora muita gente lembre do “Rei Leão” quando pensa da África, não existem animais selvagens vagando livremente por todo o continente. 

A maior parte da vida selvagem fica restrita aos parques nacionais ou reservas privadas. Mas isso não quer dizer que eles sejam como zoológicos. Na verdade, são áreas selvagens extensas e intocadas e, muitas vezes, maiores do que alguns países europeus.

Todos os parques na África do Sul, por exemplo, são cercados, mas algumas áreas em outros países da África Meridional e Oriental não têm parques cercados. Ainda assim, os animais tendem a ficar em áreas protegidas de vida selvagem.

Mito 7: Os animais vão entrar em meu veículo aberto durante o safári.

elefantes caminham ao lado de 4x4, onde há um viajante durante um safári na Africa
Foto: redcharlie on Unsplash

O “GAME DRIVE” é um safári feito em um carro 4×4, que percorre as savanas em busca de rastros de animais para que os turistas possam ver e fotografá-los. Não há forma mais incrível de vivenciar os arredores em um safári – e tirar algumas fotos alucinantes. 

No entanto, parece um pouco assustador imaginar um leão passando bem pertinho de você e não havendo janelas ou laterais. Então, o que os impede de entrar no veículo?

Na verdade, antes de iniciar um safári, seus guias vão lhe explicar em detalhes as regras para observar animais selvagens e como você deve se conduzir em um veículo aberto para observação, de modo a garantir sua segurança. 

Como regra geral, os animais percebem o veículo como outro “grande animal”, e não as entidades únicas das pessoas no veículo. E como o veículo é grande demais para ser uma presa, muitos dos animais se habituaram a eles e não os veem como uma ameaça.

O objetivo principal de um GAME-DRIVE é ver o animal em seu estado mais natural. Ficar em pé, sair do veículo, fazer barulho, tentar alimentar os animais e chamar a atenção para si ou para o veículo é estritamente proibido. 

E se você seguir essas regras simples (como os milhares de outros viajantes em safáris fazem todos os dias) vai estar seguro.

Mito 8: África é apenas para voluntariado ou safáris.