06/09/2021 Por Bárbara Rocha

Nômade Digital: O guia definitivo

Você tem uma mente criativa e sonha em viver trabalhando pelo mundo? Se você respondeu sim, temos uma notícia: Talvez seja a hora de você descobrir como ser um nômade digital.

Ou seja: ser um profissional que independe de um lugar fixo e pode trabalhar de qualquer lugar do mundo fazendo uso da tecnologia. 

Eu e o Vagner somos nômades digitais há 10 anos: viajamos e trabalhamos pelo mundo com produções de vídeos e séries documentais. Até hoje, já moramos em mais de 200 “casas”, entre apartamentos, casas, barracas, carro,  barco, trem, tudo quanto é tipo de hospedagem. 

No entanto, quando começamos, não tínhamos conhecimento desse termo, acho até que ele nem existia. E era difícil esclarecer como viver dessa forma, fomos na cara e na coragem.

Aos poucos, este estilo de vida vem se popularizando, mas ainda é um mistério para muitas pessoas que sonham em viver viajando. 

Por esse motivo, resolvemos montar esse guia com nossas melhores dicas e conselhos com você que também quer experimentar esse estilo de vida! Bora ver?

Guia de como se tornar um nômade digital. Confira aqui:

Bárbara Rocha, nômade digital brasileira, sentada em sofá
Foto: Vagner Alcantelado

O que é ser um nômade digital?

Só para recapitular: um nômade digital é um  profissional que pode trabalhar de qualquer lugar do mundo fazendo uso da tecnologia. Mas, longe de ser só isso.

Geralmente são pessoas que se deram conta de que o tempo é um artigo de luxo e que não faz sentido ficar preso num escritório durante os melhores anos da sua vida – quando você está saudável e cheio de energia – para, só então, juntar dinheiro, se aposentar com mais de 60 anos e  viajar. Querem viver isso agora!

Foi exatamente o que aconteceu com a gente, trabalhávamos o dia inteiro, de manhã até de noite, sem nem ver a luz do dia e não aguentávamos mais.

Com essa sensação tomando conta, essas pessoas escolhem largar tudo, em busca de maior qualidade de vida e flexibilidadePara quem gosta de viajar, a alternativa acaba sendo sair pelo mundo, buscando uma vida mais excitante.

casal viajando o mundo Vagner Alcantelado e Babi Rocha
Babi e Vagner, nômades digitais brasileiros. Casal viajando o mundo desde 2012 sem endereço fixo.

Característica dos nômades digitais

É importante dizer que é comum, mas não a regra, que os nômades digitais sejam:
 

Criativos

Uma das partes essenciais desse estilo é ter foco criativo, isso é, ter habilidades para criar, seja inventar algo que vai ajudar na sua renda ou encontrar a solução para sair de um perrengue no meio do caminho.  

Interdependentes

Virar nômade digital requer um alto nível de independência, é claro, mas é essencial estar conectado com outras pessoas enquanto se viaja, e não deixar que o ato de viajar se torne um forma de isolamento, por isso é comum que eles busquem espaços de coworking.

Minimalistas

Viver com uma mochila impõe minimalismo. Torna-se complicado viver experiências incríveis pelo mundo quando se carrega coisas em excesso. 

Adaptáveis 

Essa é uma das principais, afinal, para levar esse estilo de vida, é preciso se acostumar com o fato de que cada dia você pode estar num lugar, dormir em camas diferentes, lidar com situações e culturas novas a cada dia.

Se você se identificou com essas características pode ser um sinal, hein… quer saber como ser um nômade digital?

viajante de braços abertos em mirante, observa o mar
Foto: Vagner Alcantelado

Com o que trabalha um nômade digital? 

A internet mudou tudo. Não apenas a forma como trabalhamos, mas de onde.

O primeiro ponto é pensar se a sua profissão pode ser exercida de qualquer lugar, ou se você está disposto a mudar de carreira, quem sabe criar o seu próprio negócio.

É comum que nômades digitais sejam produtores de conteúdo, escritores, designers gráficos, web designers, fotógrafos, video makers, mas pode ser um profissional de qualquer ramo, que consiga trabalhar online. Há muitas formas de como ganhar dinheiro viajando

O básico é: ter um celular, notebook, e uma boa conexão de internet.

Notebook, planta, caderno e garrafa de água em cima de mesa de trabalho de nômade digital

Onde conseguir trabalhos remotos ou empregos?

1) Emprego fixo – home office

Cada vez mais, as empresas vem apostando na contratação de colaboradores no sistema Home Office e, com a pandemia, esse modelo cresceu ainda mais, registrando 309% de aumento em 2020/2021. 

As empresas perceberam que, com os funcionários trabalhando de casa, seria possível reduzir os custos e, em vez de cobrar horários rígidos, passaram a cobrar a produção.

Portanto, se você já tem um emprego presencial, mas que pode ser realizado de qualquer lugar, converse com seu chefe e tente convecê-lo a adotar esse modelo. Mas, lembre-se: o trabalho home office não é para qualquer um. Você vai precisar ter uma boa capacidade de autogerenciamento para que a produtividade não caia. 

2) Trabalhos remotos:

Outra opção é buscar trabalhos em sites que oferecem trabalhos remotos no mundo inteiro. Alguns dos sites mais conhecidos no mundo são:

Onde conseguir trabalhos remotos ou empregos?

1) Emprego fixo – home office

Cada vez mais, as empresas vem apostando na contratação de colaboradores no sistema Home Office e, com a pandemia, esse modelo cresceu ainda mais, registrando 309% de aumento em 2020/2021. 

As empresas perceberam que, com os funcionários trabalhando de casa, seria possível reduzir os custos e, em vez de cobrar horários rígidos, passaram a cobrar a produção.

Portanto, se você já tem um emprego presencial, mas que pode ser realizado de qualquer lugar, converse com seu chefe e tente convecê-lo a adotar esse modelo. Mas, lembre-se: o trabalho home office não é para qualquer um. Você vai precisar ter uma boa capacidade de autogerenciamento para que a produtividade não caia. 

2) Trabalhos remotos:

Outra opção é buscar trabalhos em sites que oferecem trabalhos remotos no mundo inteiro. Alguns dos sites mais conhecidos no mundo são:

Por fim, você pode também pesquisar os sites de freelancer dos países para onde você pretende ir. Por exemplo, se a ideia é ir para a Nova Zelândia,  neste post você encontra sites de lá.

Nômade digital com mochila nas costas, caminha em rua, durante o dia

3) Contato direto com as empresas (Bater de porta em porta por e-mail / listas amarelas)

Outra opção, é trabalhar por conta própria, oferecendo os serviços do seu negócio em todo o mundo. É mais complicado, mas permite que você gerencie completamente o seu tempo.

Se você é escritor, designer, publicitário ou fotógrafo, por exemplo, pode criar um portfólio e oferecer seus serviços a estabelecimentos de cada país para onde pretende ir.

Nós trabalhamos dessa forma, escolhemos um destino e, bem antes de partir para lá, começamos a ligar e mandar e-mails oferecendo o nosso serviço.

4) Outras formas de ganhar dinheiro como nômade digital:

– Marketing de Afiliados: 

Os blogueiros e editores de conteúdo ganham dinheiro ao divulgar serviços / produtos de anunciantes através de banners e links em troca de comissões.

– Sites de bancos de imagens:

Se você se empenhar em construir um portfólio com imagens de forte apelo comercial, poderá ser capaz de ganhar alguns dólares diariamente. Alguns sites onde você vender suas fotos e vídeos são: ShutterstockGetty Images , FotoliaiStock e Dreamstime.

– E-books

Se você tem algum conhecimento especializado, considere escrever um Ebook! Hoje em dia, é tão fácil se auto publicar, que se houver um mercado para o seu assunto, você poderá se dar bem. Certifique-se de pesquisar bem seus potenciais leitores e divulgar para eles – afinal, você não quer ser deixado na prateleira digital!

– Sites de nicho

Você consegue enxergar uma lacuna no mercado? Se você é capaz de escrever conteúdo de qualidade, considere esta opção. O conteúdo aqui é realmente importante – verifique se o site preenche uma necessidade real e é útil e bem escrito. Após conseguir algum tráfego, inscreva-se para adsense, afiliados, ou outros sistemas semelhantes para que possa começar a ganhar dinheiro com os seus esforços.

Mas não para por aí! Há muitas opções de empregos para quem quer, ao mesmo tempo, trabalhar e viajar, como contamos neste post sobre os 26 melhores trabalhos pelo mundo para ganhar dinheiro viajando. 

Bárbara Rocha, nômade digital, em frente a motorhome
Foto: Vagner Alcantelado

Quanto custa viver viajando?

Essa é uma das perguntas que mais recebemos, mas que é uma das mais difíceis de responder, pois não há um custo de vida que se encaixe para todos.

Se você mora em uma grande cidade, como Rio de Janeiro e São Paulo, costuma pagar alugueis altos, frequentar lugares caros e curte esse estilo de vida, então provavelmente vai querer fazer o mesmo pelo mundo. 

No entanto, se na sua cidade você já tem um custo de vida baixo, e está satisfeito com isso, provavelmente vai ser muito fácil gastar pouco ao viver pelo mundo.

De forma geral, os custo mais altos costumam ser com alimentaçãoacomodação, e diversão (para algumas pessoas mais, outras menos), sendo a escolha da localização o que mais influencia nesses gastos.

Por exemplo, um nômade digital que mora em Amsterdã ou Paris, tende a gastar entre US$ 3 – 8 mil dólares mensais, enquanto um morando em Chiang Mai ou Bali (como nós moramos), gasta entre US$ 1-3 mil no máximo (é bem difícil gastar mais que isso por lá). 

Ambos vivem muito bem e podem se permitir alguns luxos.

Se a ideia é viver por mais de 3 meses em um lugar, uma boa é buscar apartamentos em grupos de Facebook de cada cidade ou, então, negociar uma temporada no Airbnb (sempre peça um desconto).

Caderno, notebook e caneca em cima de mesa câmera fotográfica e notebook em cima de mesa preta

Vantagens e desvantagens 

Os pontos fortes:

Essa é a parte principal, afinal, é isso que costuma impulsionar as pessoas a largarem tudo, e partirem para o mundo. Veja se te agrada:

Liberdade

Você decide para onde vai, seu escritório pode ser em qualquer lugar, numa casa, num apê, um resort, uma pousada, quem sabe com uma vista diferente a cada dia.

Ser dono do seu tempo

Se você não tiver patrão, é você quem decide e faz seu próprio horário, escolhe os dia