06/09/2021 Por Bárbara Rocha

Viver em Bali como um nômade digital

Então, você está pensando em viver em Bali? Ótima decisão! A Ilha dos Deuses é um dos principais destinos da rota dos nômades digitais, e um dos melhores lugares do mundo para viver.

Com um custo de vida relativamente barato, um clima excelente o ano inteiro, praias bonitas com surf, cultura riquíssima, e uma excelente comida, não é de se admirar que Bali seja o paraíso tropical mais procurado pelos empreendedores que não dependem de um lugar fixo para trabalhar.

Acrescente a esses ingredientes, um povo super hospitaleiro, que vai te receber de braços abertos, e te fazer se sentir em casa, e um cenário vibrante e colorido. Como não querer morar em Bali?

Nos últimos anos, os mesmos motivos que vêm impulsionando o comércio turístico têm feito da ilha um lugar atraente para se fazer negócios. Muitos já perceberam que ao invés de apenas passar férias podem viver e trabalhar no paraíso. 

Mas como é a vida em Bali, e quais as diferenças em relação à vida no Brasil?

casal viajando o mundo Vagner Alcantelado e Babi Rocha
Foto: Vagner Alcantelado
surf

Este post foi escrito por um nômade digital para ajudar outros nômades digitais que querem viver em Bali. Nele, cobrimos o seguintes tópicos:

Prós e contras de viver em Bali

Viajante surfando em Bali
Foto: Linus Nylund on Unsplash

Prós

  • O surf é incrível.
  • Tem clima excelente o ano todo.
  • Belas paisagens, com praias, vulcões, terraços de arroz e muito mais.
  • Boa internet.
  • Próxima a outros países da Ásia: Usando uma combinação de companhias aéreas lowcost, como Air Asia, Lion Air, Jetstar Asia, etc, se consegue chegar, praticamente, a qualquer lugar na Ásia por menos de US$ 200.
  • Mão de obra barata: Para quem está iniciando seu próprio negócio online, contratar desenvolvedores locais, web designers e assistentes virtuais sai muito mais em conta do que na Europa ou nas Américas.
  • É um ambiente criativo, inspirador e cheio de energia.
  • Por toda parte, há aulas de ioga, e restaurantes de alimentação saudável. 
  • Ainda é relativamente barato (especialmente a comida).

Contras

  • Vem ficando cada vez mais caro.
  • Lugares como Canggu já estão lotados de nômades digitais.
  • É um pouco poluída.
  • O tráfego pode ser bem caótico.
  • Comprar produtos eletrônicos é quase impossível: além de existirem poucas lojas de eletrônicos, é difícil encontrar um modelo específico e, quando se encontra, são bem mais caros do que em outras cidades.
  • Em geral, os únicos lugares em Bali com wi-fi rápido o suficiente para trabalhar são Kuta, Canggu e Ubud.
  • Você vai ficar mal acostumado (ao voltar para o Brasil, nunca mais será o mesmo).

Requisitos para vistos na Indonésia

Passaporte com carimbos em cima de mesa
Foto: Linus Nylund on Unsplash

Vamos começar com o mais importante: o visto.

Primeiramente, saiba que brasileiros que viajam a turismo não precisam de visto para entrar na Indonésia, desde que a estada seja inferior a 30 dias – mas fique atento: para entrar no país, é preciso apresentar passaporte com validade mínima de 6 meses, além de certificado internacional de vacinação contra febre amarela.

Vamos aos tipos de vistos existentes:

Duração inferior a 30 dias:

Grátis para brasileiros, obtido na chegada em Bali. Mas esse visto não pode ser estendido, como o visto seguinte.

Visto de 30 a 60 dias:

Para ficar no país por um período de 30 a 60 dias,você obtém o visto na chegada ao aeroporto em Bali (chamado Visa on Arrival), que custa US$ 35 (pago na hora, dinheiro em espécie, pode ser dólares ou euros), e permite com que você fique 30 dias.

Ao final deste primeiro mês (até o último dia) caso você queira ficar mais tempo, vai ser necessário ir ao escritório de imigração e aplicar para mais 30 dias de extensão, totalizando 60 dias.

Atenção: não fique mais tempo ilegalmente, o país cobra multa de 1 milhão IDR a cada dia além do concedido.

E vale também lembrar que há uma taxa de saída de IDR 200.000 (deve ser pago em moeda local, portanto, reserve recursos para isso).

Varanda de casa em Bali, em região bem localizada, ideal para quem quer viver em Bali
Foto: Linus Nylund no Unsplash
Vistos de longa duração

Para viagens de negócio ou superiores a 60 dias, é necessário solicitar o visto com antecedência na Embaixada da Indonésia em Brasília.

Embaixada da Indonésia: SES Avenida Das Nações Quadra 805, Lote. 20 CEP: 70479-900 Brasília – DF,  Brasil. Telefone: + 55 (61) 3443-8800, 3443-1788. E-mail: brasilia.kbri@kemlu.go.id

Visto de residência e trabalho

Desde já, saiba que não é simples conseguir um visto de residência ou trabalho na Indonésia. 

Isso porque os empregadores precisam provar que estão empregando um estrangeiro apenas porque não conseguiram encontrar um indonésio nativo para ocupar o cargo e, num país com mais de 260 milhões de habitantes, isso pode ser um tanto difícil de ser provado.

Portanto, a menos que você comande sua própria empresa, ou seja empregado por uma grande empresa multinacional indonésia, infelizmente é melhor tirar o cavalinho da chuva. 

Visto Social Budaya

O visto social precisa ser tirado nas Embaixadas da Indonésia e é emitido por um período de até 60 dias. Para conseguir este visto, é necessário apresentar uma carta convite de um “sponsor” da Indonésia. 

Algumas agências em Bali oferecem um serviço de venda de “cartas de sponsor” que custa cerca de 19 USD, na qual você recebe a carta no email em 24 horas. O visto da Indonésia depois deve ser tirado na Embaixada e custa 45 euros. Este visto também é adequado para quem quer ficar na Indonésia mais tempo, pois tem extensões permitidas de até seis meses. 

Mas, tome cuidado! Há relatos de pessoas que foram repreendidas por conta do uso indevido desse tipo de visto, e tenha em mente que você precisará fazer entrevistas com a imigração se pretende usá-lo por mais de 60 dias. 

Importante:

A maior parte dos vistos mencionados são estritamente para fins turísticos. 

Muito tem sido discutido sobre a validade de se trabalhar online utilizando estes vistos. A realidade é que milhares de pessoas fazem isso e é tranquilo, mas recomendamos ficar a par das mudanças nas leis e na aplicação da imigração no local.

Onde ficar em Bali como um nômade digital

Vista área de vegetação de Bali
Foto: Geio Tischler on Unsplash

Os lugares mais populares para se viver em Bali ficam a uma hora de carro do aeroporto internacional local, e esta é a parte onde recomendo você ficar. 

As principais áreas urbanas do sul da ilha são: Kuta, Canggu, Seminyak e Ubud, cada uma com suas particularidades e atraindo um público diferente.

Kuta é, principalmente, para viajantes com orçamento restrito, em busca de férias na praia e festas. É bastante turística, cheia, tem vida noturna intensa e bebidas baratas. A praia em si não é tão bonita.

Ubud, é uma região montanhosa descolada com terraços de arroz, iogues descontraídos e lojas caras. 

Por fim, Canggu é “Ubud à beira-mar”, com opções de surf e atividades mais descoladas, enquanto Seminyak é onde moram os ricos.

Estou generalizando, mas você vai entender exatamente o que eu quero dizer ao chegar em Bali! 

Recomendo que você tire um tempo para pesquisar e escolher com calma onde viver em Bali, pois essa escolha terá um impacto grande sobre o tipo de pessoas que você vai encontrar e as experiências que terá.

Quer descobrir como se tornar um nômade digital? Leia: Como ser um nômade digital: o guia definitivo .

Custo de vida em Bali

Pessoas caminham em ruas de Bali
Foto: Niklas Weiss on Unsplash

A boa notícia é que Bali não é cara, mas infelizmente também não é barata. Calma que eu explico…

Sua crescente popularidade como destino turístico, que vem ocorrendo desde os anos 1980, aumentou ainda mais com a estreia do filme Comer, Rezar, Amar, com Julia Roberts, o que consequentemente aumentou os custos. 

Muitos hotéis, hoje, cobram mais caro simplesmente por estarem localizados nos pontos de acesso de Seminyak e Kuta. Ao mesmo tempo, a chegada de bistrôs elegantes trouxe um ar de luxo à cena gastronômica.

Já os táxis (administrados por uma irritante máfia de táxis), aumentaram os preços, enquanto os Ubers estão lutando para competir. 

Dito isso, é ainda possível conseguir grandes pechinchas em condomínios e flats! 

Na verdade, o boom imobiliário em áreas como Canggu e Ubud ajudaram a criar uma espécie de baixa dos preços de acomodações de médio prazo. 

Quanto à comida, comer em warungs e barraquinhas de rua não sai tão caro – especialmente, espetos de frango coberto com pimenta e molho satay são baratos. (Conheça as comidas típicas de Bali: melhores pratos e onde comer na ilha).

O resultado é que o custo de vida para um nômade digital viver em Bali pode variar muito. 

É possível viver com algo em torno de US $500 ao mês alugando um lugar simples e se limitando à comida local. Mas também, é possível escolher morar em uma vila perto das melhores ondas e gastar mais de US $2.000 por mês.

Alguns exemplos de despesas são:

  • Um aluguel mensal em um apartamento privado com cozinha, banheiro e piscina nos arredores de Canggu: 9,8 milhões de IDR (US$ 750).
  • Uma cerveja gelada em um bar em Kuta: 35.000 IDR (US$ 2,5).
  • Um táxi de Kuta para Ubud: 300.000 IDR (US $21,50).
  • Diversão e atividades – Se você quiser explorar mais a ilha e visitar cachoeiras e outras atrações turísticas, lembre-se de que provavelmente você terá que pagar taxas de entrada. Provavelmente, custará cerca de US $ 60 por mês. A isso, acrescente pelo menos mais US$ 140 para bebidas, se você gosta de festas.
  • Comer em um restaurante chique custará US $10 por refeição, enquanto comer em um warung local custará US$ 4, e em uma barraca de rua em torno de US$ 2. Se você quiser preparar suas próprias refeições, vai gastar ainda menos.

Pessoalmente, eu reservaria para comidas e bebidas algo em torno de Rp 200.000 – Rp 350.000 / dia por pessoa para viver em Bali (cerca de US $15 a $25 dólares), o que seria o suficiente para três refeições na rua, um café e uma cerveja ou drink à noite. 

Por vezes, seu orçamento vai ficar acima deste valor e às vezes ficará abaixo. Como eu disse, varia muito e vai depender do seu estilo de vida! 

Piscina com boias em quintal de uma casa, para quem quer viver em bali
Foto: Marvin Meyer on Unsplash

Alugando um apartamento em Bali

Primeiramente, se a ideia é viver em Bali por uma semana ou mais, já vale a pena alugar uma casa, e há muitas disponíveis!

No AirBnB, haverá muitas opções de vilas, lugares com quartos, sala e piscina só pra você, mas não será fácil encontrar um lugar que seja bom por menos de $500 por mês.

Considero um BOM lugar uma pequena vila com cozinha, sala de jantar e / ou sala de estar e um quarto individual.  

Já os lugares realmente espetaculares, como as vilas que você vê nos anúncios de férias na Indonésia, vão custar US $1.000 por mês ou mais!

Outra opção (mais estressante, mas recomendada para quem vai ficar bastante tempo!) é procurar um lugar ao chegar lá. A maior parte das imobiliárias são preparadas para atender estrangeiros, a equipe normalmente fala inglês razoavelmente e, se você for paciente, poderá conseguir um bom negócio.

Os preços costumam variar de três milhões (US $220) por mês a 12 milhões (US $880) + para um apartamento de dois quartos com piscina e vista. 

Para aluguéis de longo prazo, também considere dar uma olhada nos grupos do Facebook, como o  Bali Housing and Accommodation

Com mais de 28.000 membros, e sendo uma das comunidades mais ativas de moradores de Bali, o grupo oferece muitas opções por toda a ilha, com postagens praticamente todos os dias. 

Placa de madeira em grama onde há escrito ''no wi-fi zone''
Foto: Discover Savsat on Unsplash

Velocidades da Internet em Bali

Felizmente, a internet em Bali vem melhorando nos últimos anos!

Você vai descobrir que praticamente todas as villas, hotéis, cafés e restaurantes têm Wi-Fi… Ou seja, dá para trabalhar de qualquer lugar, transmitir vídeos, realizar webinars e fazer upload de conteúdo sem problemas. 

Em nossa casa, a velocidade de download era em torno 10 mega, enquanto a de upload em torno de 2 mega- o que não é tanto, mas funcionava bem na maioria das vezes. Também não tínhamos problema com a Netflix, mas às vezes o Skype travava. 

Caso sua acomodação não tenha internet rápida, é melhor apostar em um espaço de coworking.

Algumas opções de espaço coworking:
  • Restaurante vegano Sage: Tem Wi-Fi rápido (9 Mbps para baixo) e ótimos cafés da manhã – um dos nossos lugares favoritos para trabalhar!
  • Lazy Cats Cafe: Também tem ótimo WiFi, um bom café, decoração elegante, cadeiras confortáveis e boas refeições vegetarianas. 
  • Sayuri: Serve um café vegano cru, e tem velocidades rápidas (16 Mbps para baixo).
casal viajando o mundo Vagner Alcantelado e Babi Rocha

Barreira da língua

A língua principal em Bali é o indonésio, seguido pelo balinês. O Indonésio é uma língua fácil de aprender, mas o sotaque é um tanto difícil de dominar.

A maioria das pessoas que vive em Bali fala um pouco de inglês, e isso vale ainda mais para a geração mais jovem. 

No entanto, se você for para as aldeias, haverá uma boa chance de você ter que depender de sinais manuais para se comunicar com os habitantes locais.

Embora você não precise falar indonésio para morar em Bali, recomendo fazer pelo menos uma semana de aulas, pois as pessoas vão apreciar o seu esforço. 

Além disso, você vai receber muito mais sorrisos e isso, sem dúvidas, abre a chance para interações divertidíssimas!

Viajante circula de moto em uma estrada, um bom transporte para quem quer viver em Bali
Foto: Patrick Craig on Unsplash

Como se locomover em Bali

Primeiramente, saiba que alugar uma moto em Bali é basicamente uma necessidade, pois praticamente não há calçadas!

Também é a forma mais barata de se locomover pela ilha. Para te dar um exemplo, uma curta corrida de táxi custa 50.000 IDR (US$ 3,70), que é o preço de um aluguel de uma scooter por um dia inteiro. 

Para quem opta por pagar o mês inteiro (o que recomendo!), sairá ainda mais em conta – pagamos 550.000 IDR (US$ 40) por um mês numa scooter automática.

Além disso, a gasolina é barata – cerca de 10.000 IDR (ou US $0,70) por uma garrafa pet de 1 litro vendida em barraquinhas na beira da estrada, ou ainda menos nos postos de gasolina. Nós pagamos em torno de 20.000 IDR ($1,40) para encher o tanque.

Tecnicamente, para alugar uma scooter, você vai precisar de uma habilitação internacional, portanto, se você ainda não tem uma, lembre-se de pesquisar e obter uma antes de deixar o Brasil. 

Saiba que, se a polícia te parar e você não tiver sua habilitação internacional, a “multa” no local costuma ser em torno de 50.000 IDR ($ 3,70). A polícia nunca nos parou, mas vimos vários estrangeiros serem parados, portanto, fique ligado.

Por fim, certifique-se de pedir um capacete e checar se está em boas condições, no momento do aluguel, e muito cuidados: em Bali, o trânsito é confuso, louco e perigoso.

Dinheiro em Bali

A moeda é a rupia indonésia. As taxas de câmbio flutuam, mas atualmente (2021) são US $1 = 13.600 IDR, £ 1 = 19.700 IDR e € 1 = 15.200 IDR.

A maior parte dos caixas eletrônicos têm saques máximos de um ou dois milhões de rúpias e muitos cobram taxas, o que é um saco!

Dica:

O melhor caixa eletrônico é o Maybank, que permite sacar três milhões sem taxas. Saque o máximo que puder de uma vez.

Viajantes observam placas com preços de comidas, importante para quem quer viver em Bali
Foto: Bernard Hermant on Unsplash

Conhecer outros nômades digitais que vivem em Bali

Bali é um ótimo lugar para fazer networking como um nômade digital!

A ilha mais famosa da Indonésia tem resolvido os gargalos da Internet, tornando o trabalho remoto mais fácil do que nunca.

Escritórios compartilhados (coworkings) surgem a todo instante na ilha, com ambientes bem decorados, que oferecem vistas privilegiadas para o mar, arrozais e até piscinas infinitas. 

Pontos positivos dos espaços coworking:
  • Possuem salas de reuniões privadas.
  • Há áreas externas para acomodar quem gosta de trabalhar ao ar livre! 
  • Normalmente oferecem cozinha compartilhada com café ilimitado.
  • Costumam promover eventos divertidos toda semana.
  • Ocasionalmente, acontecem palestras motivacionais com palestrantes convidados interessantes. 
Pontos negativos:
  • Os espaços de coworking em Bali são caros! 
  • Ao visitar um, e pagar cerca de Rp 200.000 ao dia, você terá direito a uma boa área de trabalho, bom Wi-Fi, e um café meia-boca. 

Por outro lado, ao escolher ir a um café (que provavelmente vai ter um ambiente igualmente agradável) você também os acesso a Wi-Fi gratuito (e dessa vez, um café saboroso!), gastando somente Rp 30.000.

Resumindo: No espaço de coworking, no fundo, você estará pagando pela companhia de outros nômades, e pelos eventos!

O que não é algo ruim, é importante socializar, fazer networking, conhecer outros freelancers e empresários, e criar oportunidades para si mesmo. 

Por esse motivo, recomendo sim que você frequente alguns deles. Mas, opte por pagar por um mês inteiro de acesso (o que sairá mais em conta) ou, então, vá somente uma vez por semana.

planta de folhas verdes, em Bali
Foto: Esteban Lopez on Unsplash

Uso de drogas

Primeiramente, entenda bem: o que você faz em seu tempo livre é problema seu! 

Se você gosta de fumar um baseado à noite para relaxar ou tomar um comprimido numa festa, tudo bem. Em muitos países, o máximo que vai acontecer é a polícia te mandar para delegacia e você pagar uma fiança.

No entanto, na Indonésia, a realidade é outra: a pena padrão para uso de drogas é de cinco anos de prisão. Isso mesmo! São cinco anos em uma cela. 

Então fica aqui o conselho: não use QUALQUER tipo de droga enquanto estiver na Indonésia! Deixa para fumar e fazer o que você quiser assim que deixar o país!

O clima em Bali

Por estar localizada no hemisfério sul, as estações na Ilha são as mesmas do Brasil.

Bali tem uma temperatura média anual de 27ºC, então esteja preparado para o calor o ano todo! 

Portanto, independentemente da quando você decidir viajar, leve na mala roupas leves! O forte calor e a umidade vão te fazer suar com frequência. À noite, não há necessidade de usar roupas de frio, você vai ver que no máximo um casaco leve (se estiver chovendo e/ou ventando) vai ser necessário. 

Vista aérea de pessoas em montanha rodeada de árvores em Bali
Foto: Radoslav Bali on Unsplash

A estação seca de Bali (maio a setembro)

O inverno, que corresponde ao período mais seco, ocorre nos meses de junho, julho, agosto e setembro, a alta temporada.

É a melhor época para visitar e/ou morar em Bali, pois é quando há pouca chuva, baixa umidade e muito sol.

As rajadas de chuva são mais fracas durante esta época e não acontecem pela costa sudoeste. O resultado é menos precipitação e mares mais calmos.  

Apesar disso, as ondas do Oceano Índico ainda garantem que o surfe em Bali continue clássico! Inclusive, para quem viaja para Bali em busca de ondas, de abril a outubro é a melhor época.

Mas tenha em mente que Julho e Agosto são também os períodos de pico (assim como feriados como Natal e Ano Novo), então, prepare-se para encontrar mais gente na ilha, assim como tarifas de hotéis mais altas.

Janela de carro com pingos de chuva
Foto: Horvath Mark on Unsplash

A estação chuvosa de Bali (outubro a abril)

Ao contrário do que acontece no Brasil, em Bali, o verão é considerado a baixa temporada, e quando costuma chover e ter mais tempestades. 

Fique atento a isso na hora de planejar sua viagem a Bali, já que a maioria das atividades na ilha acontecem ao ar livre.

Dito isso, pode ser que você chegue a Bali nesta época e encontre exatamente as mesmas condições climáticas dos meses da estação seca…. Ou seja, é imprevisível!

Em geral, as chuvas começam a aumentar a partir do início de outubro, e  normalmente vêm em rajadas curtas por toda a ilha, trazendo com elas mares mais selvagens, que são também um ímã para o aumento da poluição.

Aviso: o mar não é tão bom para nadar entre novembro e abril.

Além do mais, a direção do surf muda quase tot