05/09/2021 Por Bárbara Rocha

Guia para viajar com pouco dinheiro: guia prático

Eu não preciso ser rico(a) para viajar. Antes de mais nada, repita essa frase em alto e bom tom várias vezes, sério! Não acredita? Calma, que nesse post eu te explico como viajar barato (e até de graça). Primeiramente, você precisa ter disposição e criatividade!

Pouco depois de descobrirmos o nosso sonho de viajar pelo mundo, vimos que apenas saber como juntar dinheiro para viajar não seria o suficiente para nos manter na estrada por tempo indeterminado. Então, nos viramos nos 30 para encontrar novas alternativas, como buscar trabalhos nos destinos escolhidos e truques para economizar durante as viagens. 

Agora, já são 10 anos viajando pelo mundo com essa fórmula e, é claro que nesse meio tempo, aprendemos outros truques! 

passport

Se você também sonha em viajar, mas tem como maior desafio a falta de grana, tenho certeza que essas dicas vão te ajudar. Bora conferir?

Como viajar barato: 1º passo - Planeje a viagem

1. Defina o orçamento

Câmera fotográfica, caderno de anotações e lápis em cima de mapa de papel

Primeiramente, e antes mesmo de escolher o destino de sua viagem, você precisa descobrir como vai sua vida financeira. 

Você deve se perguntar:

  1. Quanto posso e estou disposto a gastar no total com essa viagem? 
  2. Conseguirei juntar mais dinheiro para viajar até a data estipulada? Se sim, quanto?

Com este valor definido, você terá chegado ao seu orçamento de viagem (que será distribuído entre itens como: passagem, hospedagem, seguro viagem, passeios, alimentação, compras e imprevistos).

E poderá, então, tomar duas decisões importantes: decidir a duração da viagem e selecionar destinos que se encaixem no seu orçamento.

Para isso, você vai precisar colocar a mão na massa e pesquisar muito, o que vamos ensinar a seguir.

2. Pesquise o custo da viagem

Para facilitar essa pesquisa, depois de definir o orçamento, você pode usar o site Numbeo, é uma excelente ferramenta de pesquisa do custo de vida em cidades do mundo todo. 

Por meio dele, você poderá descobrir os preços de itens de mercado, refeições em restaurantes, combustível, hospedagem, transporte público, entre outras coisas, além de poder comparar custos de vida entre cidades diferentes. Ou seja, é um ótimo recurso, se você estiver em dúvida entre dois destinos. 

Depois de analisar com calma os valores, escolha os destinos que melhor se encaixem no seu orçamento! Já para pesquisar hoteis e albergues, use o Booking, e para passagens, o Skyscanner.

Coloque todos esses valores em uma planilha de viagem, indico baixar a planilha do Robson do Blog Um Viajante, que é bem completa.

3. Escolha viajar na baixa temporada

viajante sentado em aeroporto observa avião decolar

Nem sempre é possível escolher quando iremos viajar, já que muitas vezes a viagem precisa ser encaixada num período de férias, ou quando encontramos tempo.

Mas, antes de comprar as passagens, tenha em mente que a época escolhida para viajar poderá impactar diretamente o custo da sua viagem.

Cada país/cidade tem sua própria temporada, e isso depende de vários motivos, mas principalmente do clima. Por exemplo, em lugares frios com atrações na neve, a alta temporada costuma ser o inverno, nos de praia, o verão… 

Ou seja, para viajar barato, tente planejar suas férias de forma que elas coincidam com a baixa temporada dos destinos escolhidos.

4. Corte despesas desnecessárias

Nunca é demais lembrar: 

Se você parar de gastar com itens desnecessários, como roupas novas, eletrônicos e baladas, conseguirá uma boa grana para sua viagem.

Você tem ideia de quanto gasta por semana com cafezinhos, ifood, cerveja, cigarro? E por mês? E por ano? Faça as contas, mas já vou logo avisando: pode ser assustador!

5. Tente um visto de trabalho

passaporte em cima da mesa com visto de trabalho, uma alternativa para quem quer saber como viajar barato

Não sei se você sabe, mas muitos países oferecem vistos de trabalho que permitem que turistas passem um tempo trabalhando enquanto viajam. É uma ótima forma de custear sua viagem!

Eles geralmente são destinados a pessoas entre 18 e 30 anos, e os requisitos variam de acordo com o país. Alguns destinos populares para férias de trabalho são Austrália, Canadá, Nova Zelândia, França, Irlanda e Cingapura. 

Na Nova Zelândia, por exemplo, são oferecidos 300 vistos ao ano, exclusivamente para brasileiros trabalharem no país por até 12 meses, ou estudarem por até 6 meses. O nome do programa é Working Holiday Visa

Agora, você está se perguntando: como conseguir um emprego fora do país? É o que eu explico no próximo passo!

Como viajar barato: 2º passo - Trabalhe pelo caminho

6. Busque empregos temporários

viajante colhe kiwis na nova zelândia, uma forma de viajar barato

Ao longo das nossas viagens, trabalhamos em colheitas de flores e kiwis. O que nos rendeu uma boa grana para continuarmos na estrada. No nosso caso, foi na Nova Zelândia, um país que tem muitas vagas na indústria de frutas e nas fazendas.

Essas oportunidades são boas pois não exigem que você possua qualquer experiência ou fale inglês fluentemente. Só é preciso ter o visto adequado e disposição! Você pode achar vagas como essas nos sites: Seasonal Jobs, Work the Seasons, PickNz, Seek, Careerjet, Trade Me.

7. Trabalhe em troca de acomodação/alimentação

Se você quer economizar e, sobretudo, ter uma experiência enriquecedora, saiba que é possível embarcar para um país gastando somente com a passagem. 

Para isso, você vai precisar usar suas habilidades em causas sociais.

No WorldPackers, por exemplo, você encontra vagas que envolvem trabalhos com Meio Ambiente, Proteção Animal, Educação, Cultura e Arte. Em troca de algumas horas de trabalho por dia, os lugares – que variam entre hostels, pousadas, campings, escolas, sítios e fazendas – oferecem alimentação e acomodação. Entre um trabalho e outro, você conhece os atrativos do destino, se diverte e faz muitas amizades.

8. Crie seu próprio projeto e feche parcerias

casal viajando o mundo Vagner Alcantelado e Babi Rocha

Você curte fotografar, filmar, escrever, produzir conteúdo em geral? Se sim, uma boa alternativa pode ser criar um projeto, para que você possa trabalhar pelo caminho e custear sua viagem. 

Foi o que fizemos! Ainda no Brasil, criamos o projeto/série de TV Melhores Momentos da Vida, que nos permitiu fechar muitas parcerias pelo caminho (e, assim, reduzir absurdamente o custo da viagem), e que acabou evoluindo para a criação de nossa produtora de vídeos itinerante, que é o que nos rende grana hoje.

Mas já adianto que não foi do dia para noite! No início, tínhamos apenas uma câmera (sem microfone) e fazíamos vídeos de graça para diversos estabelecimentos, no intuito de enriquecermos nosso portfólio, ou então trabalhávamos em troca de acomodação/alimentação. Levou um tempinho, e bastante esforço, até conseguirmos aprimorar nosso projeto a ponto de vivemos dele.

Lembrando que esse é apenas o nosso exemplo, mas há muitos por aí, de viajantes que criaram projetos e, hoje, além de custearem suas aventuras, ainda ganham um bom dinheiro com isso!

Existem 3 formas mais comuns de trabalhar com uma empresa, são elas:

Permuta:

Ideal para quem está começando e têm poucos seguidores, a permuta se caracteriza por uma troca de serviços entre a empresa e o influenciador digital. Por exemplo: você fica hospedado em um hotel, ou faz passeios de graça e, em troca, divulga a experiência aos seus seguidores.

Publicidade:

A publicidade é caracterizada pela troca de serviços por dinheiro, ou seja, a empresa paga você para divulgar seu negócio em seus canais de comunicação.

Co-Criação / Co-Branding:

Este formato de parceria é caracterizado pela criação de projetos conjuntos, onde um influenciador empresta seu nome e influência para engajar e humanizar uma campanha, enquanto a empresa assume os custos de produção.

9. Use suas habilidades para ganhar dinheiro na estrada

viajante fotografando, uma alternativa de trabalho para quem quer saber como viajar barato

Já pensou em tirar proveito de suas habilidades e oferecer serviços enquanto viaja?

Seja para fazer um corte de cabelo, trabalhar como guia turístico, editar um vídeo, ou cortar a grama… Existem inúmeras possibilidades para ganhar dinheiro enquanto você viaja pelo mundo, inclusive criamos um post inteirinho sobre os melhores empregos para ganhar dinheiro viajando.

Mas como conseguir os trabalhos?

Você pode pesquisar empresas da região e, então, enviar e-mails ou ligar, oferecendo seu serviços.

Ou, então, ir de porta em porta, na cara e na coragem, ofertando seu serviço ou distribuindo panfletos em estabelecimentos da região. Já fizemos isso também (mais fácil perguntar o que não fizemos.. haha), e passamos um bom tempo criando websites para empresas durante as viagens.

Outra opção é buscar trabalhos como freelancer em sites que oferecem trabalhos remotos no mundo inteiro. Alguns dos sites mais conhecidos são:

Neles, você encontra trabalhos nas áreas de coleta de dados, pesquisa, vendas, assistentes administrativos e muito mais. 

Como viajar barato: 3º passo - Economize na acomodação

10. Couchsurfing

Tanto quanto conseguir trabalhos, economizar nas acomodações é uma ótima forma de viajar barato. 

Um dos meios úteis pra isso é o Couchsurfing, uma plataforma de hospitalidade que permite que você se hospede de graça (seja num sofá, numa cama ou num quarto privativo), nas casas da comunidade de couchsurfers, como são chamados os membros dos grupos.

Além de reduzir os custos da viagem, você terá a chance de fazer amizades, estar por dentro das melhores dicas da região, e conhecer mais a fundo a cultura do lugar, afinal, você vai conviver com um morador local.

Funciona da seguinte forma: você cria seu perfil e, então, tem acesso às casas cadastradas e comentários de pessoas que já ficaram no local (fique atento a essa parte). Depois, é só se candidatar a um dos espaços disponíveis, fazendo um pedido de hospedagem.

É super importante que seu perfil tenha muitas informações e detalhes sobre você, pois é o anfitrião quem decide se aceita ou não o pedido. Por fim, quanto ao tempo de hospedagem, é vocês que combinam!

11. House sitting/Pet sitting

gato cinza e branco deitado no sol
Foto: Vagner Alcantelado

Agora, se a ideia de dividir uma casa com um desconhecido não parece boa para você, há outras alternativas, como ficar numa casa sem que o morador esteja por láNão tô dizendo para você invadir nenhum lugar, não é isso! 

Ao contrário do que você pensou, isso existe e se chama house sitting, que é cuidar da propriedade de uma pessoa pelo período em que ela fica fora, geralmente quando vai viajar. A maioria das vagas, envolve cuidar de pets, o que muda o nome para pet sitting.

Enfim, esta é uma ótima oportunidade para não gastar com acomodação e, ainda, economizar com a alimentação, já que você terá um lugar para cozinhar. No entanto, tenha em mente que o house sitting exige responsabilidade, já que você vai precisar cuidar dos afazeres domésticos e/ou dos pets da pessoa.

Te interessou? Você pode encontrar vagas em: TrustedHousesitters, HouseSit, Mindahome e Kiwi House Sitters. Algumas dessas plataformas, possuem uma taxa mensal, por isso, recomendo mais para quem pretende ficar por um bom tempo em um destino (como, por exemplo, 1 mês) e, aí, obviamente pagar por esse taxa sairá bem mais barato do que ficar em hoteis.  

12. Airbnb

casal viajando o mundo Vagner Alcantelado e Babi Rocha
Foto: Vagner Alcantelado

Similarmente, outra forma de encontrar acomodações confortáveis, espaçosas e com cozinha é por meio do Airbnb, uma plataforma de aluguéis, na qual você pode escolher entre quartos, apartamentos, casas, sítios, e pode tê-los para você por um período, o que é uma ótima para você se sentir como um verdadeiro morador local.

Além de permitir que você procure por um espaço, no Airbnb é possível criar o seu próprio anúncio. Então, se você vai viajar por um longo período e quer economizar, também pode anunciar sua casa/apartamento enquanto está em outro país e, assim, usar o dinheiro que vai receber do aluguel para pagar por seu próprio aluguel no dstino, deu para entender?

13. Fique em albergues

Outra dica para viajar barato é ficar em albergues, um dos tipos de acomodação mais em conta, mas que oferece pouca privacidade, já que você vai dividir um quarto com mais pessoas (a maioria é dividida em dormitórios, masculinos e femininos). 

O lado positivo é que, justamente por concentrar muitas pessoas, os albergues são ótimos lugares para fazer amizades com gente do mundo todo e se divertir muito, já que a maioria deles organiza muitos eventos animados e vende cerveja por um preço mais barato.

14. Encontre uma área para acampar

viajante deitado em barraca de camping, um meio de economizar na hospedagem e viajar barato
Foto: Dominik Jirovský on Unsplash

Agora, se você não liga tanto para conforto, quer viajar barato e, ainda, se conectar com a natureza, a melhor opção é essa! 

Uma boa alternativa é utilizar plataformas como a Camspace, com diferentes áreas disponíveis em propriedades privadas em meio a natureza. Além de ser seguro, você pode escolher desde barracas simples às mais luxuosas, pagando pouco. Se estiver em uma road trip, poderá também encontrar um espaço para o seu carro/trailer.

Aplicativos e sites para localizar campings: 

No Brasil e América do Sul:

MaCamp (site, iOS e Android) – o site possui uma busca chamada “Ponto de apoio para RV’s”, que traz lugares no Brasil preparados para receber motorhomes e similares.

Camped (site, iOS e Android) – o site também permite filtrar a buscar por campings aptos a receber veículos grandes.

Viva Sobre Rodas (site, iOS e Android) – inclui campings em outros países da América do Sul.

Estados Unidos:

Mapa interativo do BLM – aqui você encontra áreas de camping gratuitas nos Estados Unidos.

Na Europa: 

ACSI (site, iOS e Android).

Camping.info (site, iOS e Android).

Na Nova Zelândia e Austrália:

freedomcamping.org – Melhores acampamentos e recursos na Nova Zelândia 

Campable – dá acesso aos melhores locais da Nova Zelândia para camping e viagens em autocaravana.

Campermate – é um aplicativo de viagens gratuito que ajuda você a encontrar tudo o que precisa enquanto estiver na estrada na Austrália e na Nova Zelândia.

Como viajar barato: 4º passo - Use truques de viagem para economizar

15. Utilize cartões sem taxa

Então, sabe aquela anuidade que você paga pelo seu cartão de crédito e acha que não faz diferença? Ou aquela taxa para fazer um saque ou transferência? Elas podem ser bem piores quando você faz transações estrangeiras.

Acredite, esse dinheiro vai fazer falta! Se você quer viajar barato, não deixe de procurar e fazer contas e cartões de crédito/débito sem taxas antes de embarcar.

16. Compre um sim card local

sim card ao lado de smartphone em cima de mesa cinza
Foto: Brett Jordan on Unsplash

Da mesma forma, sabe o plano roaming oferecido pela sua operadora? não caia no erro de contratar esse serviço, essa “facilidade” acaba saindo caro e sendo menos vantajosa.

Sai mais barato comprar um Sim Card pela internet, como o Viaje Conectado, no qual você faz o pedido com antecedência, recebe o cartão em domicílio (ou onde estiver) e já sai de casa conectado. 

Por fim, existe a opção (que, muitas vezes, é a melhor) de comprar um cartão pre-pago (com planos que duram alguns dias, ou até 1 mês), assim que você chega a um destino, geralmente em guichês próprios no aeroporto de chegada, ou no centro das cidades.

17. Tome cuidado com as taxas de câmbio

Assim como os outros, esse é um dos grandes erros que pode te impedir de viajar barato. Cair na cilada de trocar a sua grana no aeroporto é o mesmo que rasgar dinheiro! 

Lá, costumam estar as piores taxas de câmbio, portanto, pesquise antes onde ficam os bancos do local, ou procure no centro da cidade, é onde você encontra as melhores taxas de câmbio.

18. Procure atrações turísticas gratuitas

viajante de braços abertos em mirante em frente ao mar uma atração gratuita, boa para quem quer viajar barato

Todo mundo, quando viaja, quer conhecer os principais pontos turísticos, o que é compreensível, já que eles não são os “mais famosos” a toa.

Você deve, sim, fazer alguns desses passeios, mas, para economizar, foque em buscar atrações baratas ou gratuitas, como visitas a parques, mirantes e praias.

Outra ótima opção é fazer tours gratuitosFrequentemente, muitas organizações em diferentes lugares do mundo oferecem esses tours para que você conheça mais dos atrativos locais no esquema “pague quanto quiser”(geralmente algo em torno de U$10 – U$15), como por exemplo oferecendo uma gorjeta ao guia.

A vantagem desses tour é que geralmente são feitos por moradores locais (que são também guias), então, além de explicarem sobre a cultura e história do local, eles dão as melhores dicas daqueles lugares que só um morador local poderia indicar. 

Por fim, uma boa alternativa é focar nos museus, que geralmente oferecem um dia da semana gratuito para visitação. Antes de viajar, faça uma pesquisa e preencha seu roteiro com muitos desses passeios! 

19. Compre um City Pass

Por outro lado, se você não quiser ficar de fora das principais atrações, e estiver com vontade de visitar de preferência todas elas, pode acabar ficando bem caro a conta final do ingresso de todos esses lugares.

Nesse caso, para viajar barato, a melhor alternativa é comprar um city pass, um cartão que te dá acesso aos principais pontos turísticos da cidade e ainda, em alguns casos, oferece acesso ao transporte público gratuitamente. Ótimo, né? 

Porém, é realmente um meio que só recomendo para quem quer ver muitas coisas, se esse não for o seu caso, melhor selecionar apenas alguns lugares.

<