Share

White Island – o único vulcão marinho ativo do país.

Em poucos lugares no mundo você vai poder visitar um vulcão ativo como na Nova Zelândia. O motivo é simples. Uma parte da borda da cratera cedeu, e portanto ao desembarcar, literalmente caminha-se direto para dentro sem ter que escalar nenhuma encosta.

O mais difícil de tudo porém, é passar por escrito o que se sente quando se está no coração de um vulcão ativo. Por esse motivo, considera-se a White Island o destino turístico número um da Nova Zelândia.

Não se trata de uma aventura, mas de algo absolutamente extraordinário que pode ser feito por pessoas de qualquer idade, só não sendo recomendável para crianças pequenas, ou para quem tem problemas físicos, tais como asma, ou dificuldades de locomoção.

A White Island fica à 48 Km mar afora em frente da cidade de Whatatane. As bordas da cratera atingem 321 metros de altura, sendo que mais de 70% do vulcão está submerso, acarretando na maior estrutura vulcânica em toda Nova Zelândia.

Geofísicos estimam que tenha 150 mil anos, e apesar de ter entrado em erupção várias vezes, todas foram de pequeno ou médio porte, não mais do que 2 ou 3 numa escala até 5.

Em 1914, havia uma mina de enxofre na ilha, que era explorada às duras penas para a fabricação de fertilizantes.

A acidez dos gases corroía todo o material, além de comprometer a saúde dos que lá trabalhavam. Foi então que uma parte da parede da cratera desabou, e matou 14 trabalhadores. A mina foi fechada, mas reabriu em 1920, para pouco depois ser desativada para sempre.

Os escombros das construções e maquinários, ainda podem ser vistos no local, e o desabamento proporcionou fácil acesso para visitantes, algo em torno de 10 mil por ano. Um outro detalhe da White Island, é que ela é uma ilha particular, ou seja, o dono é o feliz proprietário de um vulcão.

Poucas coisas que você fará em sua vida, podem ser comparadas a ficar na beira de uma cratera em plena atividade, e tudo vai depender de quanto de atividade estiver acontecendo naquele dia.

O fato é que a atividade não para, e com ela você se sente diminuto perante as forças da natureza. Lá dentro, estrondos, assovios, chiados, e barulhos de toda a espécie, chegam a ser tão fortes, que lembram mil panelas de pressão fervendo, sem falar em outro tanto de chaleiras apitando.

O cheiro de enxofre é pesado, e a coluna de vapor que emana da cratera principal (são 3 crateras) pode chegar à 10 mil metros de altura. Fumaroles e Fissuras nas paredes laterais, expelem gases com grande pressão, sendo que em alguns pontos, enxofre é expelido junto.

O colorido e a paisagem dentro da cratera, são ao mesmo tempo desoladoras e fascinantes, algo totalmente lunar. Ao olhar-se de dentro para as altas bordas ao redor, nota-se que a atividade vulcânica não se concentra somente no fundo, mas sim ao longo de todo o paredão em si. A ilha inteira expele jatos de vapor por todas as partes. É pulsante como um ser vivo, e a impressão é de que está prestes a explodir.

Fonte:Mentes Imundas e Belas

[rule]

Bárbara Rocha

Bárbara Rocha

Melhores Momentos da vida - Nômades Digitais at Alcantelado & Rocha
Jornalista e produtora cultural, desistiu de esperar ser rica um dia para ir atrás do sonho de conhecer todos os países do mundo. Fanática por livros, gastronomia, música e filmes. É sócia da agência Alcantelado & Rocha e nômade digital.
Bárbara Rocha

Latest posts by Bárbara Rocha (see all)

Comentários

comments

Comments

No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write comment

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.